Translate

Pray For Mexico, Puerto Rico, For The World Peace


Reformem o Código Penal, mas não esqueçam o de Processo Penal.

Opinião do Blog: Realmente eu estou cansada de tanto ouvir que a culpa das falhas penais serem jogadas apenas no Código Penal Brasileiro.

ALÔ VAMOS PARAR COM A HIPOCRISIA. Porque o Código Penal é de 1940, sim... Precisa da inserção de novos tipos penais. Sim precisa.
Mas o Código Penal é apenas o instrumento que ensina quais são os tipos penais, as penas a ser aplicadas, e dá vários ensinamentos doutrinários dentro dos 120 artigos.
Mas quem é o instrumento que faz o processo penal andar é o CÓDIGO DE PROCESSO PENAL !!!
É o CPP que diz como o processo deve ser proposto, como o judiciário vai tratá-lo, os tipos de ações, os tipos de recursos, prazos e tudo mais.
Então politicada e desinformados de plantão falem a verdade sobre a não atualização do Código de Processo Penal, porque não adianta nada ter um Código Penal novo e um Código de Processo atrasado. Porque o problema vai continuar.
É só ver. O Código Civil foi mudado em 2002 e o Código de Processo Cívil continua sendo do de 1973... 
-------------------------

Revisão do Código Penal será discutida pelo Congresso em 2012



A revisão do Código Penal vai ser tema de discussão no Congresso Nacional em 2012. Na Câmara, a Subcomissão Especial de Crimes e Penas vai elaborar um projeto de lei com alterações nos pontos de consenso entre os deputados. Já no Senado, uma comissão especial se dedica a temas polêmicos, como tipificação do crime de terrorismo e dos crimes cibernéticos, redução de penas para eutanásia e criminalização da homofobia.
Reinaldo Ferrigno
Alessandro Molon
Alessandro Molon: proposta de alteração do código vai dar prioridade aos temas de consenso.
Para o relator da Subcomissão Especial de Crimes e Penas, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), os temas em debate no Senado precisam ser tratados, mas a estratégia da Câmara será ajustar primeiro os pontos sem divergência, para gerar resultados imediatos no combate à impunidade e melhoria da eficiência da Justiça.
"Toda vez que uma reforma dessa amplitude entra em questões polêmicas, as questões polêmicas impedem que a reforma avance. Por causa de 3, 4 ou 5 pontos, outros 70 ou 80 pontos deixam de ser apreciados. É por essa razão que estamos optando por fazer uma reforma pé no chão, feijão com arroz, mas que vai mudar muito a vida de quem depende da justiça penal brasileira", diz o deputado.
Segundo Molon, o relatório da subcomissão será apresentado no fim de fevereiro, na forma de um projeto de lei que corrija distorções de penas e enfatize o uso de punições alternativas. O passo seguinte será a criação de uma comissão especial para análise do projeto.
A Subcomissão Especial de Crimes e Penas é vinculada à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara. Instalada em agosto de 2011, a subcomissão já realizou cinco seminários temáticos em diversas cidades, para discutir os problemas da legislação penal.
Penas alternativas
O presidente da Frente Parlamentar Mista para Aperfeiçoamento da Justiça Brasileira, deputado Wellington Fagundes (PR-MT), afirma que, além de tornar a Justiça mais eficiente e rápida, a reforma do código precisa ser criativa para melhorar a relação entre a pena e o crime.
Arquivo/ Luiz Cruvinel
Wellington Fagundes
Wellington Fagundes: reforma do Código Penal precisa ter medidas criativas.
“Precisamos criar penas que possam reeducar o cidadão. Que tal fazer uma ‘pena moral’ para crimes de trânsito?’, questiona o deputado. “O cidadão vai ter que dar, por exemplo, uma aula onde o filho dele estuda, se penitenciar e dizer que cometeu um crime."
O Código Penal em vigor foi instituído em 1940 (Decreto-Lei 2.848/40). Desde então, o País ganhou mais de uma centena de leis penais especiais para tratar de novos delitos. Segundo o jurista Antonio Nabor Areias Bulhões, isso tornou o sistema penal injusto, desorganizado e ultrapassado. Para Bulhões, é necessária uma revisão completa do Código Penal, com a incorporação e harmonização das leis especiais com o código e a rediscussão de conceitos fundamentais, como crime, dolo e culpa.

Fonte: Agência Câmara de Noticias

0 comentários:

Conheça

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí

Conheça a Cia LF Produções Artísticas