Translate


Dark Horse: Um clipe extremamente simbólico e inspirado em Cleópatra.

Katy Perry encarna a grande Cleópatra em um vídeo digno de Oscar.

A letra da música fala de magia e tem demonstra um forte conteúdo ocultista. Ela menciona em brincar com magia, que ela deve ser a única na vida de quem a procura e que não deve ser desafiada pra não se tornar sua inimiga. A música é inspirada em Cleópatra, a mais famosa e polêmica governadora do Egito.
Katy Perry encarna Katy Patra, referencia a Cleópatra.  O nome "Cleópatra" significa "glória do pai", "Thea" significa "deusa" e "Filopator" "amada por seu pai".
Katy Perry lança seu clipe "Dark Horse", ou seja, Cavalo Negro. Com fotografia impecável e muito bonito. Porém carregado de simbolismo e contando a história de Cleópatra.
Cleópatra originalmente governou conjuntamente com seu pai Ptolemeu Auletes, e mais tarde com seus irmãos Ptolomeu XIII e XIV, com quem se casou como por costume egípcio, mas, eventualmente, ela tornou-se a única governante. Como faraó, ela consumou uma ligação com Júlio César, que solidificou sua pegada no trono. Mais tarde, ela elevou seu filho com César, Cesário, para co-regente em nome.
Cleópatra foi uma grande negociante, estrategista militar, falava seis idiomas e conhecia filosofia, literatura e arte gregas. Recebeu convite de Cesar e foi para Roma onde recebeu o título de Rainha dos Reis. Fundindo assim o Egito a Roma. Depois de ser derrotada, cometeu o suicídio, deixando se picar por uma naja e o Egito se tornou província de Roma.
Por este motivo a coroa que Katy usa é uma naja.
Acima nota-se o Dragão de Osiris, onde Katy Patra esta abaixo dele.
 O clipe tem inicio com Katy Patra passeando ao amanhecer pelo rio Nilo, seu barco tem acima um teto com o Dragão de Osiris, (representado por uma serpente alada, os egípcios acreditavam que por causa deste dragão ocorria a cheia do Nilo e com isto as melhores colheiras. E representa o deus Osiris, senhor da morte, do reino inferior e da fertilidade) Katy vem escoltada por duas mulheres com cabeça de gato, que representam a deusa Bastet, dotada de grande bondade porém vingadora, e sempre era representada por gatos. Para os egípcios os gatos eram sagrados, pela característica de independência e estarem ligados as forças ocultas. E os Faraós acreditavam que os gatos promoviam a limpeza de energias negativas e pesadas, por isto estavam sempre cercados por gatos.
Também nota-se uma grande pedra vermelha, que lembra um grande Rubi.
O Rubi representa amor e poder. Na antiguidade representava prevenção contra tristeza e envenenamento. Também a cor vermelha representa prosperidade e poder.
No pulso de Katy Patra pode se notar uma pulseira em forma de serpente, quanto no seu tornozelo. Na cor dourada. A serpente (Uaes]us) no antigo Egito representava a deusa Uadjit, que protegia o baixo Egito e protegia o Faráo.
Ela vem vestida de branco e dourado, representando a pureza e o dourado representando iluminação. Em seu cabelo foi estampado em azul o olho que tudo vê, representando sua busca por iluminação espiritual. 
E ela faz isso ao amanhecer como uma referencia ao deus Sol, que nasce do mundo inferior e reina absoluto na Terra. Como um ritual para receber energias para governar
Katy Patra analisa o presente do primeiro pretendente um grande diamante. Neste ela mostra o olho de Hórus.
O primeiro pretendente se aproxima e oferece um grande diamante a Patra, seu olhar demonstra "você quer este diamante, não quer." E esta cheio de ganância.
Katy pede a uma de suas súditas que pegue a pedra, pois ela se encantou com ela.
Porém o primeiro pretendente  de Katy não passou pelo crivo da grande Esfinge, onde ela estava sentada, referindo ao seu trono.
Aqui Patra ostenta o que sobrou do primeiro pretendente com olhos gananciosos.
Então pela ganancia ele foi destruído e Katy Patra ficou com as joias que ele trazia, a cor meio roxeada nas pedras indicam referencia a espiritualidade que era ausente neste primeiro pretendente.
A esfinge que destrói os pretendentes mal intencionados de Katy Patra.
A esfinge egípcia é uma antiga criatura mística usualmente tida como um leão estendido — animal com associações solares sacras — com uma cabeça humana, usualmente a de um faraó. Também usada para demonstração de poder, assim como as pirâmides no Egito.
Vistas como guardiãs na estatuária egípcia, esfinges são descritas em uma destas duas formas:
  1. Androsfinge (Sphinco Andro)- corpo de leão com cabeça de pessoa;
  2. Hierocosfinge (Sphinco Oedipus Rex)- corpo de leão com cabeça de falcão.

A maior e mais famosa é Sesheps, a esfinge de Gizé, sita no planalto de Gizé no banco oeste do rio Nilo, feito em dois ao leste, com um pequeno templo entre suas patas. O rosto daquela esfinge é considerada como a cabeça do faraó Quéfren ou possivelmente a de seu irmão, o faraó Djedefré, que dataria sua construção da quarta dinastia (2723 a.C.–2563 a.C.). Contudo, há algumas teorias alternativas que redatam a esfinge ao pré-antigo império – e, de acordo com uma hipótese, a tempos pré-históricos.
Outras esfinges egípcias famosas incluem a esfinge de alabastro de Mênfis, hoje localizada dentro do museu ao ar livre naquele local; e as esfinges com cabeça de ovelha (em grego, criosfinges) representando o deus Amon, em Tebas, de que havia originalmente algumas novecentas.
Que nome ou nomes os construtores deram às estátuas é desconhecido. A inscrição em uma estela na esfinge de Gizé a data de mil anos após a esfinge ser esculpida, dá três nomes do sol: Kheperi - Re - Atum. O nome arábico da esfinge de Gizé, Abu al-Hôl, traduz como Pai do Terror. O nome grego esfinge foi aplicado a ela na antigüidade. Mas ela tem a cabeça de um homem, não de uma mulher.

Aqui Katy Patra aparece sustentada por 6 deuses egípcios. A cor prata e dourado remete a dualidade feminino
masculino, bem e mal. 
 Nesta imagem vemos a imperatriz do Egito sustentada por 6 deuses:


  1. Bastet, deusa da vingança, porem bondosa, representada pela estatua com cabeça de gato;
  2. Sekmet, deusa da cura representada pela estatua com cabeça de leão;
  3. Anúbis, que guia os mortos para o julgamento, representado pela estatua com cabeça de cachorro e remete a Osiris, deus da morte, do reino inferior e da fertilidade;
  4. Nekhbet, representado pela estatua com cabeça de abutre e representa a soberania do Faraó;
  5. Hórus, deus Sol também conhecido como Rá. Representado pela estatua com cabeça de falcão.
  6. Rá-Harakhet é uma aparição dos deuses Rá e Hórus juntos, representado pela estatua com cabeça de pardal;
Embora uma das estatuas confunda, parecendo a cabeça talvez de uma coruja, mas para os egípcios a coruja embora sendo considerada protetora e sagrada, representa a morte.
A serpente que sobe pelo corpo de Katy Patra e sua cabeça esta sobe os cabelos dela representa conhecimentos misteriosos e poderes sinistros e ocultos. 


Coroa Branca: Hedyet

Representado Alto Egito, e foi nomeada de Hedyet ou Uereret ; tinha a estrutura tronco-cônica de cone com um topo arredondado. Ninguém sabe o material que foi confeccionada, mas pode ser de origem vegetal, portanto, seria verde, mas na iconografia egípcia é representada com a cor branca, Alto Egito. Conectado com o urubu da deusa Nekhbet.

Coroa Vermelha: Desheret

Representava o Baixo Egito, e foi denominada Desheret, Mehes (a do norte), ou Net (semelante a deusa Neith), entre outros nomes. Era Composta do mesmo material que a Coroa Branca, já que assim mostra os textos das pirâmides. Sua cor simbólica é o vermelho e aparece nas paredes do templo virado para o norte. De estrutura cilíndrica riscada, associada ao da abelha, (representante da Dinastia) e da deusa Neith. Estava relacionada às deusas Uadjit , Amonet e Neith.

Corona Dupla: Sejemty

Representando o Alto e o Baixo Egito, ou seja, a União dos dois Reinos, a unificação do Egito. Na iconografia é representada como uma Coroa no Vermelho e Branco. Era chamado pelos egípcios Sejemty "dois poderosos".

Coroa Atef

É uma forma mais complexa da Coroa Branca, e é composta por duas penas de avestruz, por vezes com dois chifres na sua base,uraeus e um disco solar. Está representado em amarelo. Foi pensado para ajudar a reanimar o defunto. Ela também aparece nos textos das pirâmides. Estava relacionado com os deuses Osíris e Herishef .

Coroa Hemhem

Tem o estilo de um triplo Atef , e pode ser considerada uma variante da mesma. Significa a vitória do sol sobre as trevas, da juventude. Na iconografia é representada com crianças.

Coroa Jeperesh

Tem a forma de um boné azul, sendo uma coroa de cerimonial, utilizada pelos Faraós em oferendas aos deuses. Foi feita de pano azul. Suspeita-se que ela poderia ter sido relacionada com a energia necessária para governar. Estava relacionado com a deusa Uerethekau.

Coroa Shuty

Representado por duas penas de gavião, mas sofreu transformações, como a inclusão de dois chifres e um disco solar. Está relacionada com a união das Duas Terras , e as duas deusas Uadjit (Baixo Egito) e Nekhbet (Alto Egito). No Novo Império converteu em uma Coroa usada somente pelas mulheres da Casa Real para a adoração divina .
E o cabelo dela neste frame foi montado com referencia as coroas dos Faraós. Quando a coroa é pequena representa o baixo Egito e quando é alta representa o alto Egito.

Aqui vemos muitos símbolos egípcios antigos. A lebre, o olho que tudo vê entre outros. E aqui Katy Patra lembra uma deusa indiana pelo design da roupa.
 O segundo pretendente traz comidas e mimos que agradam Katy Patra, porém uma das iguarias que ela prova é muito picante ela pede ao pretendente um pouco de vinho para aliviar o ardor do alimento, porém o homem havia bebido todo o vinho, isto enfurece a imperatriz que usa magia para destrui-lo.
E bebe o seu sangue para se refrescar numa grande taça prata com detalhes douradas, especialmente por duas serpentes.
As taças e cálices representam receptáculos de alimento e suas formas arredondadas remetem aos ciclos eternos do tempo e criação. Por este motivo são associados ao feminino.
Após utilizar magia Katy Patra bebe o sangue de seu segundo pretendente.
 O terceiro pretendente não se sai melhor, ele demonstra ser mais preocupado consigo mesmo e acaba virando dados para o carro que ele ofereceu a Patra.
Nos dados vemos escaravelhos com pedras azuis e mais acima vemos três escorpiões, fazendo alusão ao segundo Faraó o Rei Escorpião que reinava sobre o Alto Egito e tinha ligação com a deusa .Serket, deusa escorpião.

 Os escaravelhos que estão gravados nos dados representam o deus Sol, que surge imponente ao amanhecer, emergindo dos reinos inferiores.
Aqui vemos a aparição de Juicy J, que sai de um sarcofago, lembrando que Cleopatra reinou por muitos anos ao lado de seu pai e depois de sua morte reinou sozinho, quando conheceu Cesar e mudou-se para Roma.
Sarcofago onde esta Juicy J que representa o pai de Katy Patra. Há dois olhos que tudo vê e a cabeça lembra um
chacal e há um escaravelho no parte negra abaixo dos braços.

Aqui revela um ritual que traz a múmia de volta a vida, uma das crenças egípcias era de que os mortos poderiam voltar, por isto o eram mumificadas, tendo seus órgãos retirados e ainda sendo presas em ataduras. Como na crença egípcia os gatos tinham contato com forças ocultas e do além por isto duas gatas fazem o ritual de ressurreição.
Aqui Katy Patra faz alusão ao uso da sensualidade para
conquistar seus objetivos.
 O quarto pretendente por ser feio, ter o rosto de um jacaré é transformado em uma bolsa para Katy Patra.
Enquanto o ambiente remete a dança e diversão e as investidas dos pretendentes para ganhar o coração da imperatriz egípcia.
Mas todos que se achegam a ela não logram exito, devido alguma imperfeição que possuem.
Seja imperfeição física ou moral.
Ela usa de magia para continuar garantindo seu reinado sobre o Egito.
Na dança em que Katy Patra e sua súditas dançam pole dance, vemos o piso em que dançam recheados de símbolos antigos e o olho que tudo vê. Tudo sob o olhar atento do Faraó que retornou do mundo dos mortos. Ou seria uma alusão a Osiris.
O quarto pretendente não agrada pois traz a rivalidade entre gatos e cachorros. E é uma menção fofa a  Anúbis, note que a coleira do pequeno cachorrinho são serpentes.
 E o quinto pretendente é rejeitado de pronto por Katy Patra.
O sexto pretendente chama a atenção de Katy Patra pela beleza e por sua maneira diferente de se portar, demonstrando ser da realeza Egípcia.
Este mostra ser um rei Egípcio, provavelmente do baixo Egito, ele vem utilizando um Jeperesh, demonstrando que tem energia para governar, trazendo o olho de Hórus dentro da piramide.
Ele vem vestido de preto e dourado, a cor negra representa as forças negativas, o nada. No Ocidente representa luto, perda, perigo e magia negra.
No Egito antigo simbolizava a ressurreição e renascimento de Osíris. Também é associada a Anúbis, que conduzia os mortos para o julgamento e Bastet, a deusa lunar que sempre era representada por gatos.
O dourado representa a iluminação e também a força masculina.
O vermelho na pele dos súditos representa poder e prosperidade.
Este pretendente também faz alusão ao cavalo negro, que é o título da canção e do clipe.
A biblia descreve a figura do cavalo negro como Fome.
O Cavaleiro do Cavalo Negro, carrega consigo uma Balança e traz com isso, segundo uns, a justiça (proteção aos justos), segundo outros (a maioria dos estudiosos) o colapso econômico e a fome, pois a balança seria símbolo dos alimentos racionados e dos preços exorbitantes.
Cquote1.png E eu vi, e eis um cavalo preto; e o que estava sentado nele tinha uma balança na mão. E eu ouvi uma voz como que no meio das quatro criaturas viventes dizer: "Um litro de trigo por um denário, e três litros de cevada por um denário; e não faças dano ao azeite de oliveira e ao vinho. Cquote2.png
— Apocalipse 6:6
A fim de comparação, é válido destacar que o denário era uma pequena moeda de prata que era a de maior circulação no Império Romano. É geralmente aceito que no fim da República Romana e no início do Principado, o denário correspondia ao salário diário de um trabalhador. Com um denário era possível comprar em torno de 8 quilos de pão.

Aqui é a representação clara de Ísis.
 O ultimo pretendente traz um presente, que carrega a grande deusa Isis, deusa mãe de Hórus e casada com Osiris. Ísis (em egípcio: Auset) foi uma deusa da mitologia egípcia, cuja adoração se estendeu por todas as partes do mundo greco-romano. Foi cultuada como modelo da mãe e da esposa ideais, protetora da natureza e da magia. Era a amiga dos escravospescadores,artesãos, oprimidos, assim como a que escutava as preces dos opulentos, das donzelas, aristocratas e governantes. Ísis é a deusa da maternidade e da fertilidade. 
Ela é a portadora da chave dos grandes mistérios e questões. O azul representa a água como o ventre materno que dá vida, remetendo ao lado espiritual e ao céu. O dourado remete a iluminação e força masculina, o vermelho remete ao amor e poder.
Neste frame, a mostra do conhecimento absoluto e da iluminação plena. Tão almejados por Katy Patra. E que Isis mostrou ser dona da chave que leva a este patamar.
 A forma triangular, piramide, representa o sol, o fogo e a energia masculina quando direcionada para cima. Quando direcionada para baixo represente a chuva e a energia feminina.
A piramide representa uma ligação entre o céu e a terra. E vários povos ao redor do mundo, sem sequer se conhecerem as reproduziram, como os maias que nunca tiveram ligação com o povo egípcio.
Katy Patra aceita o pretendente.
 Diante do poder que esta nas mãos do último pretendente e sendo este o objetivo de Katy Patra. Então ela o aceita.

Quando este passa pelo crivo da esfinge, ele tem o corpo transformado em o corpo de um cachorro.
O cachorro significa lealdade e solidariedade e percepção aguçada. Para os povos orientais, o cachorro giiava seu dono ao além, por ter o sentido aguçado e sentir os espíritos.
Para os romanos, o cachorro guardava a entrada para o Hades.
O Ankh que esta representado nas unhas de Katy Patra, significa a chave da vida e simboliza imortalidade. Sendo a cruz egípcia.

Veja a segunda parte desta analise,

Fonte de pesquisa:
Wikipédia
Livro de símbolos da Publifolha
Vídeo Dark Horse.
Bibilia Sagrada

5 comentários:

emanuelle campelo disse...

Olá, gostaria de dizer que o olho de lotús tem nada a ver com o olho que tudo vé,eles tem significados diferentes mesmo que ambos se pareçam.

Dryca Lys disse...

Oi Emanuelle, creio ter falado do Olho de Hórus, e Hórus é um deus egípcio, e o olho representa o olho que tudo vê.
Já a flor de lótus representa espiritualidade. Obrigada pelas considerações e volte sempre que quiser. Você será sempre bem vinda.

Bill Oliveira William disse...

Perfeita análise simbólica. Demonstra muita sensibilidade e conhecimento.
Muito boa mesmo. Raros textos assim estão disponíveis na internet. E são do conhecimento do publico.
E eu adoro este clip!
Curti muito o blog!

Dryca Lys disse...

Bill volte sempre que quiser. Você será muito bem vindo.

Anônimo disse...

Amei a análise,estava procurando sobre o Egito antigo e esse texto me ajudou a entender muito, parabéns!

Conheça

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí