Click e Ajude o projeto cinematográfico Luz e Sombra

Translate


Funkeiros Mirins: Quando a inocência da infância é roubada.

Mc Melody
Hoje as coisas andam meio de cabeça para baixo. E me causa um certo constrangimento em ver crianças cantando Funk.
Mc Belinho, o pai da pequena Melody, disse que a menina não canta Funk proibidão nem Funk putaria.
Ela canta falando sobre a inveja (que hoje o povo chama de recalque).
A garotinha de apenas 8 anos esta sendo exposta a um mundo que não condiz com sua idade. E não é porque a garotinha canta Funk não para os que vão dizer "ela não gosta de Funk, não entende o Funk".
Na minha visão criança tem que ser criança e o mundo artístico tem o lado podre, como o próprio MC Belinho disse no Superpop ontem. E uma criança não tem estrutura para ver muita coisa que se vê na estrada do mundo artístico.
Na minha visão, criança não deveria fazer muita coisa que faz hoje, seja no Funk, na televisão, em revistas no Teatro. Porque de uma certa forma este mundo faz você se tornar adulto muito rápido.
Melody ainda conserva o olhar inocente e faz certas danças que são mais adequadas para adultos. Ela se sensualiza com roupas que lembram mulheres e não é por maldade, porque ela ainda não entende a proporção disso.
Se ela quer cantar, que cante. Mas que se suavize a forma como ela se apresenta.
Porque a maldade nem sempre esta na gente, esta nos olhos do outro. E a exposição pode trazer constrangimentos ao qual ela não esta preparada para lidar.
Mc Brinquedo.

Outro que gera polêmica é o MC Brinquedo, que canta letras altamente sexualizadas e com um duplo sentido, que não é tão duplo assim.
Ganhar dinheiro, viver da arte é uma coisa, mas a idade das crianças em questão não condiz com as situações ao qual elas estão sendo expostas.
Muita coisa que elas fazem, nem sempre fazem parte da realidade delas.
E como se sabe, tanto pela teoria educacional quando a psicológica, as crianças não aprendem pelo que se fala. Elas aprendem pela experiência. O que você faz tem mais impacto na aprendizagem do que as coisas que você diz.
Infelizmente a indústria do entretenimento (música, cinema, televisão, revistas, teatro, internet entre outros) busca pessoas cada vez mais jovens e a sensualização da imagem infantil domina a indústria.
E isso causa uma insegurança na formação psicológica comportamental destas pessoas, como atrai uma grande insegurança jurídica, pois a lei diz uma coisa mas as pessoas fazem outra.
Segundo o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) há os seguintes preceitos:

 Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais.
Art. 18. É dever de todos velar pela dignidade da criança e do adolescente, pondo-os a salvo de qualquer tratamento desumano, violento, aterrorizante, vexatório ou constrangedor.
E, sejamos sinceros, muitos shows são vexatórios e constrangedores. E acaba se por inculcar na cabeça das crianças que é normal aquele comportamento, que não é estranho certas atitudes e muitas vezes se introduz a criança e o adolescente a situações que são até reprimidas por lei.
Mc Princesa e Plebéia
Aqui vemos duas adolescentes, MC Princesa e Plebéia, em um de seus vídeos de Funk onde as duas meninas fazem uso do Narguilé, uma maneira de se ingerir tabaco e drogas, muito utilizada na Índia.
Por mais que não se queira ou mais que se negue, há uma continua exposição a apologia ao uso de drogas, a continua sexualização da imagem infantil e adolescente.
E o ECA preceitua mais uma vez sobre a preservação de todas as crianças e adolescentes:

 Art. 19. Toda criança ou adolescente tem direito a ser criado e educado no seio da sua família e, excepcionalmente, em família substituta, assegurada a convivência familiar e comunitária, em ambiente livre da presença de pessoas dependentes de substâncias entorpecentes.
E por mais que não se queira admitir estes jovens artistas passam a ser ícones para outras crianças e adolescentes, mesmo que no seio familiar destes jovens artistas não exista estes problemas.
As pessoas que neles se espelham estão expostas a um mundo diferente deles. E a maior luta da sociedade é contra o abuso de menores de idade, a alta sexualização infantil e a violência que essas crianças sofrem.
No Brasil não pode existir dois pesos e duas medidas. Quando se fala de proteção a dignidade de crianças e adolescentes.
Não pode ser tolerada a banalização da sensualidade e da sexualidade, que é algo que vem acontecendo na sociedade com a velocidade da luz. 
Eu, particularmente, não gosto de Funk Putaria nem de Funk Ostentação, porque eles acabam remetendo direta ou indiretamente para o sexo e sensualidade exagerada, existem alguns Funks que se consegue ouvir, mas tem outros que não há condição nenhuma de ouvir.
Mas quando se é adulto você consegue diferenciar com clareza o que você quer e o que você não quer, mas quando se é adolescente e criança essa tomada de decisão é mais complicada.
Porque eu já fui criança e já fui adolescente e eu me lembro bem como é. Você acredita que pode tudo, não tem muita noção dos perigos ao redor e se acha o intocável e inatingível.
Quem é adulto sabe o que esta fazendo e tem condições para arcar com as consequências de seus atos, mas adolescentes e crianças ainda estão em formação como pessoas e indivíduos, por isso o cuidado deve ser maior.
Ser pai e mãe é uma tarefa dificílima, pois você quer ajudar seu filho a realizar seus sonhos, mas é preciso entender que é preciso guiá-los pelo caminho certo, o caminho que não vai causar danos físicos ou psicológicos para seus filhos.
Todos nós sabemos que o mundo não é um lugar muito acolhedor e muitas vezes o que parece bom pode causar um dano irreparável.
Mc Princesa e Plebéia e Mc Pikachu

São crianças e adolescentes. Vejam a imagem acima. E sejam sinceros, sem qualquer tipo de dogma ou qualquer coisa. Friamente o que vem a sua mente quando você vê a imagem acima?
Eu sinto uma tristeza imensa, pois vejo crianças e adolescentes pulando etapas na vida e entrando no mundo adulto sem a noção real do impacto que isso causa em suas vidas.
E vejo milhares de crianças e adolescentes se espelhando nos seus ídolos mirins e querendo fazer tudo o que elas cantam e fazem.
Eu vejo uma distorção da realidade.
Quando você é uma Mulher Filé, uma Tati Quebra Barraco, um Mc Guime, uma Valeska Poposuda, que tem idade suficiente para saber o que esta fazendo e o impacto que esta causando, eu não me importo. É a maneira deles se expressarem com a arte deles.
Mas quando adolescentes e crianças assumem esse papel a coisa muda. Porque eles ainda não estão preparados, não são maduros o suficiente para aguentar o que o mundo do entretenimento pode trazer.
Acredito que não devemos deixar que eles pulem as fases de suas vidas. Porque o impacto futuro pode ser irreparável.

É uma questão a se pensar disso tudo. Quando a inocência da infância é roubada?

Dryca Lys

2 comentários:

Anônimo disse...

Legal sua matéria porém tenho uma dúvida gostaria que se possível me ajudasse.. minha filha tem 10 anos ela canta maravilhosamente e gostaria de se apresentar em um restaurante cantando e eu tocando violão nada de putaria lugar decente e com minha supervisão será que algum problema do ponto de vista jurídico? Att Anderson

Fer & Dennis disse...

Recado de uma pessoa que sofreu na maos de pais qie colocaram no mundo do entreterimento: Tirem urgente a guarda desses pais!!!!

Esse pais louco pouco estao importanto com as consequencias que isso trará para vida do filho na idade adulta.

Nem tudo é dinheiro!!!!! Eu sofri na maos de meus pais que me colocaram obrigado no esporte pois queriam um futuro de OURO.

Agora tenho cancer terminal devido probelmas do passado!!!

QUEM AMA CUIDA E NAO SACRIFICA!

Conheça

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí

Parceiro