Ajude a Somália. Clique Aqui

Translate


Violência Sexual: Até quando o estupro será encarado como tabu.

Kesha 
Há pouco tempo resolvi entender a situação que envolve a cantora Kesha

Admito que não acompanho as coisas que acontecem na carreira dela, mas um fato me chamou a atenção. Em 2014, Kesha fez uma acusação grave contra Dr. Luke, seu então produtor.

O acusou de abuso sexual e simultaneamente entrou com um processo para a dissolução do contrato entre eles.

Naquele ano muitos boatos rolaram. Eu não entendi a situação da moça. Até resolver estudar o caso. E realmente ocorreu o abuso, e isto ensejou o pedido de quebra de contrato, uma vez que é impossível querer que a vitima trabalhe com seu agressor. Além de humilhante, degradante. A vitima estará exposta a um novo ataque, sem saber como e quando ele pode acontecer.
Foi dada a liminar que suspendeu os efeitos do contrato que Kesha e Dr Luke tinham em razão da produção de mais 5 CDs.
E o processo continua tendo seu tramite. Porém devido a várias manobras em setembro de 2015 o processo foi suspenso na Califórnia e houve a orientação de que voltasse a tramitar na jurisdição de NYC.
Porém recentemente saiu uma decisão judicial que cassa a liminar de Kesha. Pelo fato da juiza que esta a frente do processo, Shirley Korneich da Suprema Corte de Nova York, entender que não há provas suficientes para essa quebra de contrato.


A cantora em prantos ao ouvir a decisão da Suprema Corte de Nova York.
E a situação é bem constrangedora para Kesha, porque ao voltar a trabalhar com Dr. Luke a cantora sofrerá com o medo constante de um novo ataque e o produtor pode muito bem destruir a carreira dela como vingança.
Logicamente que a defesa de Luke argumenta que Kesha não moveu ação penal contra o crime de estupro e isso enfraquece a tese que embasa o pedido de Kesha.
Porém a situação é extremamente delicada, uma acusação grave de que ela era dopada, abusada e ainda era instigada a disturbios alimentares. O caso é peculiar.
E uma mulher abusada se fecha, tem medo do abusador, não compreende bem o que esta acontecendo, leva tempo para que tome uma atitude.
E por mais que, eu estou supondo neste momento, Kesha desejasse romper o contrato ela não usaria um argumento tão pesado e delicado para obter a quebra de contrato puramente.
Na minha opinião, as acusações podem ser verdadeiras, se não fossem, Kesha não teria conseguido a liminar.
E principalmente um assunto como este, que tem um acontecimento tão doloroso para Kesha, não pode ser tratado apenas como um joguete comercial para quebra de contrato.
A situação é mais grave. E merece ser apurada. Porque milhares de mulheres passam por isto.

Viviane, um talento que se foi.

Aqui no Brasil, a jovem Viviane Alves Guimarães, morreu. Muitos meios midiáticos afirmaram que ela caiu de um prédio em dezembro de 2013. 

Mas a jovem deixou uma carta contanto que havia sido estuprada no escritório em que estagiava e isto acabou por fazê-la decidir tirar a vida.



Créditos: Matéria retirada do site R7

0 comentários:

Conheça

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí