Click e Ajude o projeto cinematográfico Luz e Sombra

Translate


Recomendo o Abajur Lilas de Plinio Marcos - Direção de Genes Holder.


Um texto visceral de Plínio Marcos, que conta a vida conturbada e obscura.
O texto faz criticas a ditadura e ao sistema politico, de maneira bem escrachada numa comparação com a vida de uma casa da "luz vermelha" dos anos 80.
O preconceito, a luta pela sobrevivência e raiva, o prazer e o nojo juntos. A falsa moral.
O texto é inteligente e contemporâneo apesar de ter sido escrito a muito tempo atrás.

Com brilhantismo e competência, Amarilson Lopes, segura o personagem Giro.
Mostra com clareza as nuances deste personagem complexo e contraditório em muitos pontos.
Com uma força de interpretação impressionante, este ator, nos leva a lugares inexplorados dentro de nós mesmos.
Trazendo a tona a beleza de alguém que luta pela sobrevivência, enfrenta preconceitos de todos os lados, que anda no limite da loucura e da realidade.
Atuação impressionante. Com certeza o autor da peça, de onde quer que ele esteja, o aplaude de pé.

Ele é um comediante, que na França nos movimentos mais antigos da arte, significa um ator que é capaz de encarar qualquer personagem.
Fiquei realmente surpresa, de maneira positiva, com o trabalho deste rapaz. Podem acreditar, ele vai longe.

Bruna Braga, encarna Leninha. Esta pequena não é apenas um rostinho bonito.
Tem talento inato, escondido dentro dela.
E nos momentos certos o coloca para fora. Encantando quem a assiste.
Sem medo de arriscar. Muitas vezes usando de vários artifícios, consegue equilibrar a inocência de sua personagem com a difícil realidade que escolheu viver.
Coloca o expectador numa viagem divertida e leve. Como sua personagem exige.
A garota que vai para vida pensando que será fácil, mas que também carrega a decepção com a vida, com os homens e que apenas que fazer o seu e ficar na sua.

Gustavo Galhego, encarna Osvaldo com maestria. Na vibe do Giro, Osvaldo é um personagem que exige técnica e comprometimento.
E realmente não ficou nada a desejar a atuação foi brilhante.
Como uma melodia bem orquestrada, notas de loucura, raiva, ciúme, misogenia, violência, amor.
Uma performance mágica, onde cada gesto, cada palavra... Cada movimento foi colocado de maneira precisa, cumprindo seu objetivo.












Jennifer Glass, encarna Célia. Com certeza uma atuação encantadora.
Mostrando como muitas pessoas são na vida.
Querem tirar vantagem as custas do outro, fazendo tudo que podem para irritar, destruir e atrapalhar.
Uma personificação do famoso jeitinho brasileiro no pior sentido.
Uma atuação bem arquitetada e bem executada.
Cumpre o objetivo que a peça quer passar.
Sem dúvida... Impressionada e comove.




Alice Vieira encarna Dilma. Comovente, mostrando que quem esta na vida tem sua razão. E que para fazer o bem a quem mais ama, sacrifica tudo. Até sua dignidade. Com uma sincronia de nuances de tristeza, dor, força, fragilidade, medo, coragem... Amor de mãe. Brigando com sua moral e a necessidade de viver da vida "fácil". Mostra com clareza muito da essência de muitas pessoas. Que silenciam sua voz quando é necessário sobreviver.

O elenco cumpre o objetivo que a peça exige. E algumas atuação alcançam o brilhantismo, com uma facilidade, que apenas os grandes monstros sagrados das Artes conseguem.

Um espetáculo que recomendo.
Conheça o espetáculo que faz jus a grandeza da memória de Plínio Marcos Clique Aqui e Saiba como assistir.

0 comentários:

Conheça

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí

Parceiro