Conheça

Translate


Carta Aberta a jovem violentada no Rio de Janeiro em 25 05 2016


Hoje fiquei pensativa a maior parte do dia. Sim, eu soube da monstruosidade que ocorreu no Rio de Janeiro, onde mais de 30 indivíduos inomináveis e inclassificáveis atacaram covardemente uma jovem de 16 anos.

Fizeram um vídeo expondo a jovem e fazendo piada de uma situação dantesca, horrenda e covarde.

Porém não quero falar com estes... Não sei como classificar este tipo de... Não sei como classificar quem comete uma monstruosidade desta...

Na verdade eu quero falar, através desta mensagem, com a vítima desta agressão sem precedente.

Uma jovem que estava cheia de sonhos, que estava formando sua personalidade, construindo seus caminhos. Não sei qual o motivo que fez você acabar nas garras daqueles inomináveis. Não me importa a roupa que você estava usando, se sua maquiagem era forte ou não. Se você já é mãe ou não. Se tinha vida sexual ativa ou não. Não me importa suas crenças ou a ausência delas. Pouco me importa se você é bonita, feia, gostosa. 

Não me importa os rótulos que tentam colocar em você.

Eu quero dizer, do fundo da minha alma, eu estou extremamente triste com o que aconteceu com você. Estou extremamente incomodada com a sensação de impunidade que estes inomináveis sentiram para armar uma emboscada desta e atacarem você. Sem você poder se defender, sem ninguém que a ajudasse a escapar desta violência.

Entendo que estes monstros roubaram de você mais que a dignidade do seu corpo.

Machucaram algo mais profundo que seu órgão genital.

Eles machucaram sua alma, dilaceraram o seu coração. E criaram um trauma dentro de você que levará muito tempo para ser curado.

Eu estou extremamente triste, porque a violência que cometeram contra você é um aviso a todas as mulheres. Que há muitos inomináveis como estes que não respeitam a liberdade feminina. Que se acham no "direito" de atacar mulheres, e o pior, atacar aos bandos para impossibilitar qualquer tipo de defesa. E ainda se acham o máximo em expor, de maneira humilhante, a vítima.

É necessário... É preciso parar esta cultura de estupro. Esse ensinamento que homem pode fazer o que quiser e que a culpa é da mulher.

A CULPA NÃO É DA MULHER. A CULPA NÃO É DE QUEM SOFRE UMA VIOLÊNCIA COMO ESSA.

Precisamos ensinar o respeito ao próximo, seja ele quem for, seja ele como for.

E o Judiciário precisa impor sanção rigorosa diante de brutalidades como esta. Eu aprendi na Universidade que a Justiça é o balsamo que pretende curar as feridas que nascem na sociedade diante de situações contrárias a lei.

Espero que a Justiça não seja branda e nem omissa. Pois é preciso acabar com a sensação de impunidade. E, principalmente, garantir uma sociedade segura para todos.

Saiba minha jovem. Que sou solidária a você. E estou extremamente triste pelo que aconteceu. E espero que você volte a sorrir e que esta dor e tristeza se afastem de você.






0 comentários:

Ajude a Somália. Clique Aqui

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí