Conheça


Se você não respeita o próximo em suas tristezas. Sua doença é mais grave do que você imagina

É como não ter nada para mostrar
Estamos na era da super exposição, da fama instantânea e da desinformação danosa. Onde se glorifica o que se supõe que é verdade e se nega o que é comprovadamente correto.

Estamos na era da falta de empatia, da falta de cuidado com o próximo. Onde o desinteresse e a grosseria são vistos como empoderamento e liberação de tudo que é visto como politicamente incorreto.

Estamos celebrando a era da depressão, onde as pessoas estão perdendo o interesse de viver, justamente por toda essa onda de pode tudo, inclusive passar por cima do outro.

Cegos para o que esta diante de nós
Estamos na era da super informação apoiada na tecnologia bem High Tech e hiper avançada... Tão avançada que  nos tornou cegos para o outro que esta morrendo bem ao nosso lado, escondido num belo sorriso.

Afinal a gente cura tudo com uma boa dieta com as comidinhas da terra, com um quilo de maquiagem no rosto e com um sorriso falso para colocar nas redes sociais.

Se for preciso faz uma tonelada de procedimentos estéticos cirúrgicos e depois chama quem não consegue se encaixar no falso padrão aceito de beleza de preguiçoso e folgado. E usamos o falso discurso de preocupação com a saúde do outro. Preocupação coisa nenhuma!

Existem coisas muitos maiores. Existem pessoas bem ao nosso lado que nos mostram todos os dias que se importam com a gente. Mas a gente prefere se exibir nas redes sociais. Glorificar aqueles que fazem piada sem graça das dores do outro. E ainda chamamos de covarde quem tira a vida, depois de passar talvez a vida inteira gritando por ajuda e sendo completamente ignorado.

Covardes somos nós que magoamos o outro que nos dedicou tempo, nos dedicou carinho e cuidado. E depois "rachamos de rir" por causa da dor que a pessoa carrega dentro de si, que gerou um trauma tão grande que faz se afastar de relacionamentos afetivos, pois toda aquela dor volta dentro da cabeça dela.

A frieza daquela pessoa que vira para você e diz "cresce", mas não tem coragem de calçar as minhas dores e ver como meus pés sangraram pelas estradas cheias de espinhos que eu passei.

E posso dizer para você que manda alguém crescer e se contorce de rir do sofrimento alheio é o seguinte: Do auge de sua vida que começou ontem, o que você sabe sobre a vida, sobre sofrimento, sobre coração despedaçado?

Para de molecagem e cria vergonha nesta sua cara e vai saber o que realmente é a vida. Vai estudar sobre os assuntos que você lê por cima na internet. Vai ver as pessoas que precisam de ajuda e ajude de coração aberto. Mas faça um favor esqueça seu aparelho que tira foto. Pois caridade de verdade a gente faz, mas não espera platéia por isto.

Uma vez na sua vida tão abarrotada de verdades vazias e vivências sem qualquer experiência, vá até um orfanato e veja quem não tem família. Vá até um asilo de idosos e ofereça seu tempo, para quem, pode estar esquecido em algum lugar.

Vá até um hospital e visite pessoas, que anseiam apenas por um "Oi, você esta bem hoje?" Ou apenas esperam que alguém apenas esteja do lado deles nos seus últimos momentos.



Quando defender uma causa. Defenda pelo motivo de acreditar na luta que existe ali. E não por ser uma modinha passageira. 

Pois tem muita gente que ao invés de ajudar em causas que, realmente, merecem ajuda. Estão atrapalhando porque só defendem aquele ideal porque é a moda do momento. É super descolado fazer parte daquela "tribo".

Quando vemos o ensinamento em Matheus 22:39, que ensina "...Amarás o teu próximo como a ti mesmo."

Há dois ensinamentos primordiais dentro destas palavras que as pessoas passam por cima.

1. Ame-se com todas as forças, sem restrições. Respeite-se e se valorize muito;

2. E com o mesmo amor que você tem à você mesmo. Ame o seu próximo. O que você não quer que seja feito com você. Não faça ao outro.

Então vemos, com toda a clareza, se você machucar o outro. Automaticamente você estará se machucando, pois esta autorizando as forças do mal a agir contra você e alcançarem você.

Uma coisa que as pessoas não entendem é que o você faz, seja bom seja mal, para o seu próximo é uma escolha livre feita por cada um e também um plantio de energia que a pessoa faz para si mesma.

Tudo que se planta um dia floresce, cresce e você vai ter que colher. Querendo ou não. Algumas pessoas plantam amor e  carinho e acabam recebendo muita dor e tristeza, porque o outro a machuca sem qualquer traço de remorso.

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Gálatas 6:7

Porém estas pessoas que pagam o bem que recebem, com o mal. Um dia, mais cedo ou mais tarde, recebem de volta a energia que emitiram. 

Como se diz na teoria quântica, a energia que você emite voltará para você, porém ela virá carregada de mais energia que ela encontra no caminho de ida e de volta.

Estamos vendo tanta dor no mundo, pois antes de nós, muitos plantaram a discórdia, o desinteresse, o desrespeito e o mal. E agora estamos colhendo os frutos que começaram a florescer hoje. 

Por isto devemos nos preocupar com o que estamos plantando para as futuras gerações. E o que elas colherão mais a frente.

"Quanto àquele que paga o bem com o mal, não se apartará o mal da sua casa." Provérbios 17:13

Por isto devemos tomar cuidado com o que fazemos com o próximo. 

Conseguir se colocar no lugar do outro para entender a dor que o outro, com confiança, divide com você. É uma demonstração clara de bondade e de respeito.

Mas se você não consegue se colocar na pele do outro, para tentar compreender o que ele sente e como você pode ajudá-lo a superar a própria dor. 

Então, meu amigo, sua doença é mais grave que a doença do próximo que lhe pede auxílio.

A pior doença que qualquer pessoa pode ter é a falta de empatia e a falta de humanidade com a angústia do outro.

E não é questão de politicamente correto ou querer parecer ser descolado e bem aceito. Mas é uma questão de humanidade, de saber ajudar o outro sem tentar ser o chato que não entende nada e quer empurrar suas crenças a força para os outros.


Ser humano e ser gentil, independem de classe social. Etnia, da sua conta bancária ou se você esta nos holofotes da fama... Ser humano, gentil e empático é uma questão de caráter e de personalidade própria.

E saber usar sua voz em favor daqueles que precisam de ajuda. Vejo muitas pessoas chorarem a morte de famosos, ou de pessoas que morrem em mega ataques pelo mundo. Mas elas deixam pessoas próximas morrerem bem debaixo de seus narizes.

Pois viram as costas para quem esta bem ao lado delas. Levantam bandeiras nas redes sociais, mas fazem piada daquelas pessoas  dos esteriótipos que defendem nas redes sociais.

Ou seja, constroem uma bela imagem vazia de um sepulcro caiado que se exibe nas redes sociais. Mas quando você as vê de perto, você percebe o marketing enganoso que elas propagam de si mesmas.

Isto você só aprende vivendo e observando. Nem sempre a pessoa que briga e corta amizade é a errada da história. Você procura conhecer o que realmente aconteceu ou compra apenas um lado da história.

Se as pessoas soubessem se colocar no lugar do outro para, pelo menos, entender as dores do outro. Muitas decepções e muitos suicídios não aconteceriam. Pois haveria mais gentileza e mais cuidado com o que o outro sente.

Não seja aquela pessoa que é linda para as vitrines das redes sociais e uma pessoa completamente fria e insensível. Pois uma hora a sua mascara cai. E é como a lei de Murphy ensina "Qualquer coisa que possa ocorrer mal, ocorrerá mal, no pior momento possível"

E quando você debocha do outro e ri das fraquezas dele. Saiba que na verdade quem é fraco e covarde é você, que precisa magoar os outros e derrubar pessoas para se sentir forte e especial. Tenho um segredo para lhe contar: De especial e forte você não tem nada.

Você é só mais um, mais do mesmo marionete de sempre, que faz o que o sistema manda você fazer.  Só isso!


Pare e reveja seus conceitos.

Dryca.

Imagens : Google
Video Youtube.

0 comentários:

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí