Translate


Arquétipo é uma maneira de nos ensinar. Porém deve estar além da imagem


Hoje resolvi ponderar sobre a questão dos arquétipos e de como isto acaba influenciando negativamente o convívio social.

"Arquétipo é o primeiro modelo ou imagem de alguma coisa, antigas impressões sobre algo. É um conceito explorado em diversos campos de estudo, como a Filosofia, Psicologia e a Narratologia." Wikipédia

Porém Carl Gustav Jung aprofunda a questão e nos elucida diversas questões sobre os arquétipos.

A grosso modo o arquétipo é um modelo que se apresenta para a sociedade, capaz de moldar a personalidade humana e que traz em si várias imagens pré concebidas dentro do consciente coletivo que todo ser humano possui.

O que nos leva a entender que o ser humano é completamente moldável. E neste momento entramos na questão da programação mental, que levanta várias teorias da conspiração que não cabem ser explanadas agora .

Porém o que nos interessa é que o ser humano pode ser moldado a qualquer tempo e há qualquer momento, porém o processo dever ser feito de maneira continua e paulatina.

Segundo Jung "no concernente aos conteúdos do inconsciente coletivo, estamos tratando de tipos arcaicos - ou melhor - primordiais, isto é, de imagens universais que existiram desde os tempos mais remotos"¹

Dentro da sociedade vemos a criação de tipos que vão se moldando dentro do convívio e que até se tornam aceitáveis, num processo continuo de mudança de comportamento. Uma vez que a sociedade é um organismo vivo e como todo organismo vivo tende a se transformar e evoluir ou retroceder, conforme o costume social que se instaura e se reproduz.

Os arquétipos acabam moldando a maneira com que a sociedade acaba se estruturando e como ela vai criando regras de convivência e acabam criando, pasmem, até métodos de construção de grupos e tribos.

E quando ocorre a relação inter-grupos marcados, ocorrem também grandes problemas de aceitação e discriminação.

O mais estranho, quando se esta muito arraigado em conceitos e pré-conceitos impostos, é quando acontece de pessoas de grupos diferentes conseguirem romper arquétipos e entrarem em algo muito maior. O que causa estranheza em todos ao redor.

Eu posso dizer isto, pois eu estou além de qualquer Arquétipo. Pois fiz de mim mesma uma experiência alquímica.

Liberte-se dos rótulos
Nem todas as pessoas estão prontas para se libertar dos rótulos que o sistema coloca na sociedade. E com isto acontecem vários embates, que muitas vezes não tem sentido nenhum e não contribuem em nada para a caminhada para a evolução para a paz.

Posso dizer, por experiência própria, que nesta vida temos que aprender a romper os rótulos que impõe o tempo todo. E que a mudança verdadeira somente acontece, quando estamos dispostos a fazer isto por um motivo real e maior: Para nos tornarmos nós mesmo e com isto impactarmos o mundo de maneira completamente positiva.

Como tudo na vida, a evolução espiritual e humana acontece com o passar do tempo. Não há como exigir de uma pessoa de 12 anos a maturidade de alguém de 60 anos.

Como também não há como se viver achando que se tem 15 anos quando se tem 50.

Tudo na vida tem seu tempo e seu espaço. Mas a diferença de idade não significa a distância de convivência e muito menos a capacidade de aprendizagem.

A vida se aperfeiçoa na troca de experiencias saudáveis e que acabam impactando cada pessoa de maneira completamente positiva, quando se esta de mente aberta para o aprendizado.

Porém vivemos o problema da dificuldade em aprender com o outro e o deseja exacerbado em controlar a vida do outro. E quando nos deparamos com pessoas que nos oferecem amor sem restrições e tentam apenas nos ensinar a caminhar na vida com mais prudencia. Acabamos ouvindo quem nos quer destruir e deixamos nossos Anjos de lado e acabamos seguindo nossos demônios. E só nos damos conta quando sofremos com as más escolhas que acabamos fazendo.

Aprender a ser livre é a capacidade de observar tudo ao seu redor e saber separar o que te faz bem e o que não te faz bem. 

Saber identificar o que faz você seguir em frente para o bem e o que acaba por te derrubar.

"Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro." Mateus 13:30

É preciso aprender a separar tudo. Porém isto não significa tratar ninguém com desprezo e com maldade. Muito menos dissimular sentimentos para obter vantagens. Mas aprender a ver muito além da imagem e ter a força necessária para deixar ir tudo aquilo que não te edifica em  nada.


É um exercício continuo para evolução. Dentro da nossa curta experiencia humana neste plano.

Porém temos que ter discernimento para entender que nem todas as pessoas estão no mesmo ponto de entendimento que nós temos.

Alcançar a liberdade exige muita força de vontade. E muita responsabilidade, pois acabamos aprendendo que todos nossos atos e escolhas acabam gerando uma consequência. E que nós responderemos por isto.

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará."  Gálatas 6:7

Tudo que se semeia tem um tempo para germinar, crescer e ser colhido. Muita gente acha que pode sair fazendo tudo a seu bel prazer, sem receber nada de volta do que fez.

Porém o Universo é sábio em sua construção e no tempo certo devolve a cada um o que foi plantado.

Tudo é uma questão de tempo e espaço. E nós estamos aqui presos a várias ilusões que se espalham pela vida. Perdendo tempo com o que não edifica em nada. E deixando tudo que realmente importa escorrer por nossas mãos.

Quando aprendemos a romper os rótulos e entender os nossos arquétipos. Porém decidimos viver a nossa vida para encontrar a verdadeira felicidade. Neste momento entendemos que somos mestres para aqueles que ainda estão caminhando na escuridão.

Ensinar o outro não deixa ninguém menos sábio. Pelo contrário, ensinar aquele que precisa de nós acaba por nos premiar muito. Pois quem mais ganha não é quem recebe o presente, mas quem o dá de coração aberto e com alegria.


E a gente acaba finalmente entendendo que ninguém é maior que ninguém e ninguém é melhor que ninguém. Somos apenas diferentes uns dos outros e estamos aqui para aprendermos uns com os outros e ensinarmos uns aos outros. Em paz e com harmonia.



Fontes de pesquisa:

¹ JUNG, Carl G (2000). Os arquétipos e o inconsciente coletivo. Rio de Janeiro: Vozes
² Biblia Online
³ Imagens: Internet
Vídeo Liberdade de Priscilla Alcântara.

0 comentários:

Conheça

 

Programa Radar Paulista 18h

Visitantes do mundo

Rádio Vale do Acaí